sábado, 7 de maio de 2016

HOMENAGEM AS MAMÃES DA FAMILIA



FELIZ DIA DAS MÃES

“... Num dado momento antes de tudo, a Deusa ergueu-se da escuridão e nasceu dela própria... E qual uma flor desabrochou e espargiu seus perfumes, como gotas de orvalho que inundaram o infinito. E assim com seu complemento divino, o grande ser, a vida aconteceu...”.

E assim se fez a vida, repleta de encantamento, ungida pela força do amor.

Nascemos em tempos distantes
Na florescência do amor da grande Deusa.
E como tal, ela espargiu seus perfumes inebriantes,
Para semear a Terra Mãe.

Naquele instante, a doce lágrima do amor
Escorreu de seus olhos,
E, como cálida gota de orvalho,
no solo fértil penetrou
e a Terra Mater, a semente germinou.

Somos todos, filhos da Grande Mãe, a deusa do amor...
Em cada um de nós existe, no mais profundo interior,
A recordação da Deusa Mãe.
Mãe, mulher que gera e cria,
Mãe, natureza que a tudo abarca,
Mãe, símbolo de toda e poderosa força da concepção universal...
Apenas, tudo simplesmente é...
A representação arquetípica da admirável energia que a tudo concebeu,
oculta em estado inconsciente,
até que ativada pelas experiências da vida,
acorda e se revela no ventre da mulher.

Mulher, tu és a mãe primeira,
Cuja bondade e sabedoria
Traduz a honrada missão do amor.
Cabe a tu generosa anfitriã
Abrir as portas da revelação
Para o tempo da espiritualidade madura
Em que o mundo possa renascer.

A tua força feminina, a fertilidade,
É natural tal qual, a Deusa que nasce e morre,
Renasce e torna a morrer.
E nos ciclos de renascimento, tu te tornas,
A missionária do Amor.
                                             POR MARIZILDA LOPES

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

MEDITAÇÃO NO ALTO DA MONTANHA NA PEDRAS DAS FLORES – EXTREMA - MG

Foto de acervo pessoal


DIA – 13/02/2016
FACILITADORES: MARIZILDA LOPES E JOÃO LOPES

Vivência em conexão com a energia local, para construir vínculos que interpenetrem o amor próprio, através do diálogo com os personagens internos que instigam caminhos, para edificar a trajetória de vida pessoal. Despertar a consciência de uma ecologia profunda a partir da diversidade e da cooperação com o ambiente e com o outro. Aprender a caminhar em beleza para estabelecer o real contato com as energias da natureza.

ROTEIRO: 
       Saída da rodoviária – a partir das 9h com retorno às 16:30h.
·         Subida à montanha de carro até as torres – Caminhada pelas trilhas até a Pedra das Flores.
o   O QUE VESTIR: roupas folgadas (moletons, jeans, camisetas, bonés ou chapéus, agasalhos (o alto da montanha é mais frio) tênis ou bota confortável, complemento de alimentação e água.
o   INVESTIMENTO: R$ 120,00 (incluso guia, 2 barrinhas de cereal, 1 suco e 1 água, 1 fruta)
·       
     Depósito antecipado até dia 11/02: Banco Itaú Ag. 0440 c/c 75724-3 – confirmar via e-mail – marizildalopes@gmail.com -  ou fone. Tel. 035-34353590 – 035-9100-5867 – 011-981838244 (somente WhatsApp)

A natureza nos servirá de guia, e a função do caminhante será desenvolver as sementes criativas, existentes dentro de si mesmo, para estabelecer o real contato com a energia do local.


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O PODER DA IMAGINAÇÃO ATIVA - SEGUNDO CAMINHO


Imagem da net


A Imaginação ativa é uma Técnica que versa sobre usar o potencial da imaginação com intuito de associar os conteúdos inconscientes trazendo-os para a mente consciente. Nesta interação utiliza-se o processo criativo para dar forma aos símbolos que surgem. Podemos assim, pintar, desenhar e expressar de alguma forma criativa, nossas próprias visões e sonhos ou até mesmo imagens mentais que surgem através da aplicação da técnica. Assim, durante o encontro poderemos expressar nosso potencial interno, dando forma a essas imagens.

Utilizaremos técnicas que ativam o chacra frontal que está diretamente envolvido com os processos imaginativos, através de mantras, movimentos e respirações específicas, que preparam o caminho para o contato com a mente interior. Podemos desta forma, contatar o mestre interno para caminhar lado-a-lado, ampliando nossas capacidades de interiorização já que Jung, considera este processo como um exercício de introspecção para alcançar a função transcendente.

Durante esse encontro tornaremos possível um diálogo com as diferentes partes de nós mesmos que habitam nosso mundo inconsciente, e mobilizar nossa criatividade. O encontro propõe a aprendizagem da segunda fase que ousamos chamar de segundo caminho que nada mais é do que ampliar o poder da concentração. Serão ensinadas técnicas de meditação Zen, certos exercícios de Yoga e de respiração que possibilitam a quietude mental necessária para que a concentração aconteça. Da mesma forma, os participantes aprenderão sobre foco e disciplina tão necessários nesse caminho. Devemos nessa fase acolher as imagens e ampliar a concentração através delas.

Participe deste encontro e aprenda como acessar e usar esses novos recursos para melhor qualidade de vida. A mente tem um incomensurável poder e você poderá aprender como utilizar melhor suas capacidades. A imaginação é o caminho da luz que permite liberar a semente da criatividade.


PROGRAMAÇÃO
Dia: 03/10/2015 Horário: das 11h às 16h.

Atividades: SEGUNDO CAMINHO - O PODER DA CONCENTRAÇÃO
  • ·         Imaginação e concentração
  • ·         Disciplina e foco
  • ·         Expressão criativa - acolhimento das imagens
  • ·         A Firmeza de Propósito


Facilitadores: Marizilda Lopes e João Lopes
Local: Rua Estela dos Santos, 71 V. Mariana – São Paulo.
Tel. 035-34353590 – 035-9100-5867 – 011-981838244 (somente watsapp)
Investimento: depósito antecipado até dia 28/09 de R$100,00 no Banco Itaú Ag. 0440 c/c 75724-3 (favor confirmar depósito pelo e-mail: marizildalopes@yahoo.com.br OU WATSAPP) – Vagas limitadas

Incluso: pães, frutas e material criativo necessário.

Obs.: trajar roupas confortáveis
Informações - http://marizildalopes.blogspot.com.br/ https://www.facebook.com/events/861816930601276/

Próximo encontro - Terceiro Caminho: 06/11/2015

CONVERSA COM O MESTRE INTERIOR



O encontro Conversando com o Mestre Interior, do dia 08/08/2015, foi um sucesso, vibração perfeita, interação completa entre o divino e o humano. Um dia de reencontros, de abraços, lágrimas de emoção e muito aprendizado para todo o grupo. Agradeço a participação de todos pela oportunidade de poder partilhar o conhecimento e sentimentos de alegria e amor. Beijos no coração e até 12/09/2015 com um novo Encontro.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

CONVERSA COM O MESTRE INTERIOR

Foto de acervo particular

Harmonizando pensamentos a partir do coração

           A sabedoria divina é infindável e para adentrá-la devemos todos harmonizar os mais puros pensamentos, deixando-nos levar pela onda universal da pureza infinita.
           Quando nos tornamos fiéis aos sentimentos positivos, vibramos o amor em toda a sua essência, galgamos mais um degrau na ascensão de consciência. Os anjos de luz se levantam e colocam-se ao nosso redor, formando o círculo da sagrada luz, que se reporta à todas as esferas dimensionais. Estes, movidos pela suavidade irmanam-se e derramam por sobre a Terra, gotas de paz e conhecimento. Estas se multiplicam e penetram nas consciências daqueles que sensitivamente abrem-se como canais da esperança.
O nosso planeta adentra uma nova fase, vivenciamos muitos acontecimentos dia a dia, momento a momento. É imperativo agora acreditar que somos capazes de ampliar nossas vibrações, elevando nossa consciência aos estados de luz. Assim podemos manter a confiança de que tudo está sendo transformado para melhor. Os momentos difíceis são nossos testes, são as formas preciosas de grandes aprendizados na qual podemos viabilizar capacidades ainda não utilizadas. Quanticamente falando somos sim capazes de mudar o mundo, a partir de pensamentos mais harmoniosos, em que vibrações de luz possam atuar como consagradoras da paz. Já sabemos que não somos apenas corpos materiais, muito mais do que isso, somos integrados ao espírito divino que nos potencializa para sermos canais de vibração maior; basta apenas acreditar nisso.
Portanto, essa vivencia interativa pode nos conduzir a vibrações superiores para formatar a crença de que somos seres universais capacitados para viver um mundo onde o amor seja o propósito de união entre todos os seres.  
Segue coordenadas do encontro de Meditação em Agosto


Vivência interativa de meditação que sintoniza o contato com o mestre interior como uma ponte de reflexão para unir-se ao sagrado e ao divino. Pelo caminho da entrega você será levado a experiências de elevação de consciência que formatam símbolos de luz que podem mudar sua vida.
PROGRAMAÇÃO

Dia: 08/08/2015             Horário: das 10h às 16h.

Atividades:
·         Expressão corporal para ativação do chacra cardíaco
·         Mantras de conexão vibracional
·         Expressão criativa para conexão com o sagrado.
·         Respiração do coração – o exercício da gratidão

Facilitadores: Marizilda Lopes e João Lopes
Local: Rua Estela dos Santos, 71 V. Mariana – São Paulo

Investimento: depósito antecipado de R$100,00 até dia 05/08 no Banco Itaú Ag. 0440 c/c75724-3 (favor confirmar depósito pelo e-mail: marizildalopes@yahoo.com.br) – Vagas limitadas

Informações - http://marizildalopes.blogspot.com.br/ 
                        Tel. 035-34353590 – 035-9100-5867 – 011- 981838244
                        e-mail: marizildalopes@yahoo.com.br

Incluso: pães, frutas e material criativo necessário.

Obs.: trajar roupas confortáveis

            
           

domingo, 21 de setembro de 2014

Dia Internacional da Paz - 21 de Setembro

Imagem da Net



Que a paz habite nossos corações como a gota de orvalho que brilha sobre o gramado.
Que a paz seja agora e sempre o bálsamo da certeza que movimenta a vida como a onda de luz das estrelas.
Que a paz se faça na terra como a alegria do sorriso da criança que brinca ao amanhecer do dia
Que a paz seja simplesmente o abraço da mãe ao filho envolto em plena ternura.
Que a paz deixe de ser anseio para ser o sentimento que pulsa no âmago de todos os seres.

Assim seja eternamente,

Marizilda Lopes

quinta-feira, 24 de julho de 2014

OS CHACRAS E A EVOLUÇÃO DE CONSCIÊNCIA ATRAVÉS DA MANDALA PESSOAL

Acervo pessoal - pintura de Marizilda Lopes



Para saber mais sobre a vivencia dos chacras e a consciência
Fragmentos extraídos do livro – Chacras e a evolução de consciência de Marizilda Lopes (em edição)

Chacra é a denominação sânscrita dada aos centros de força existentes no corpo astral do homem; também são chamados de rodas de energia. Quando despertam, eles tomam a aparência de uma flor (lótus) aberta, irradiante, colorida pela frequência da energia dessas pétalas.

Os chacras não são simples centros energéticos, mas também são centros de consciência. A esse respeito, esclarece Anagarika Govinda: "Enquanto que, de acordo com as concepções ocidentais, o cérebro é a sede exclusiva da consciência, a experiência iogue mostra que nossa consciência cerebral é apenas "uma" entre muitas formas possíveis de consciência, e que esta, de acordo com suas funções e natureza, pode ser localizada ou centralizada em vários órgãos do corpo. Estes "órgãos" que coletam, transformam e distribuem as forças que fluem através deles são chamados de chacras ou centros de força. Deles irradiam correntes secundárias de força psíquica, comparáveis aos raios de uma roda, às varetas de um guarda-chuva, ou às pétalas de um lótus".

Depois de destacar que os chacras são pontos nos quais as forças psíquicas
do corpo se interpenetram, situando-se a sede da alma nos pontos em que o mundo exterior e interior se encontram, conclui: "Por isso, podemos dizer que cada centro psíquico nos quais nos tornamos cônscios desta penetração espiritual torna-se a sede da alma, e que pela ativação ou despertar das atividades dos vários centros nós espiritualizamos e transformamos nosso corpo".

JUNG considera-os também centros de consciência: "uma espécie de graduação de consciência que vai desde a região do períneo até o topo da cabeça" (Fundamentos de Psicologia Analítica, Vozes, 1972, p. 26). Miguel  Serrano registrou uma conversa tida com JUNG sobre os chacras: "Os chacras, diz JUNG, são centros da consciência e Kundalini, a Serpente Ígnea, que dorme na base da coluna vertebral, é uma corrente emocional que une de baixo para cima e também de cima para baixo" (O Circulo Hermético - Hermann Hesse a C. G.JUNG, Ed. Brasiliense, 1970, p. 71). 
E reafirmou na conversação: "Os chacras são centros de consciência. Os inferiores são centros de consciência animal.

LOCALIZAÇÃO DOS CHACRAS - Os centros se acham situados nos vários corpos sutis. Temos, assim, centros etéricos, astrais, etc. Leadbeater faz sempre referência aos etéricos, mencionando, no entanto, os astrais. Satyananda estuda-os no corpo astral. Estas diferenças devem ser levadas em conta, porque uns são construídos com matéria etérica e outros com matéria astral.

Os chacras etéricos estão situados na superfície do duplo etérico (a cerca  de
seis milímetros da superfície do corpo físico). Os centros astrais estão geralmente situados no interior do corpo astral (Leadbeater).

JUNG, interpreta estes vários centros assinalando o grau de consciência de cada um deles:
  • Centro fundamental - mundo dos instintos - consciente.
  • Centro sacro - entrada no inconsciente - novo nascimento - batismo.
  • Centro umbilical – emoções – paixões - o inferno.
  • Centro cardíaco - começo do self – sentimento - pensamento e valores. Individuação.
  • Centro laríngeo - reconhecimento da independência da psique - pensamento abstrato – conceitos - produtos da imaginação.
  • Centro frontal - união do self no todo, não no ego.
  • Centro coronário - nirvana.
Este encontro permite experimentar, conhecer e penetrar nos chacras, para vivenciar a consciência que a eles está vinculada. Através de técnicas específicas em Arteterapia, movimento corporal, construção da mandala pessoal em cada chacra, o participante poderá encontrar na profundidade do seu interior, o caminho da luz que pulsa dentro de si mesmo.

É possível assim, viver os signos da luz ou seja, os caminhos que norteiam nossas vidas encontrados nos elementos terra, água, fogo e ar relacionados a determinados chacras. Sendo assim, esta vivência é marcante imprimindo em cada participante a noção de uma consciência que expande e evolui.

Para saber mais sobre o encontro dos chacras em 16 e 17/08/2014 em Porto Alegre:

sábado, 10 de maio de 2014

HOMENAGEM À TODAS AS MÃES

Colagem feita a partir de recortes de revistas por Marizilda Lopes 

Missionária do amor

... Num dado momento antes de tudo, a Deusa ergueu-se da escuridão e nasceu dela própria... E qual uma flor desabrochou e espargiu seus perfumes, como gotas de orvalho que inundaram o infinito. E assim com seu complemento divino, o grande ser, a vida aconteceu...”.

E assim se fez a vida, repleta de encantamento, ungida pela força do amor.

Nascemos em tempos distantes
Na florescência do amor da grande Deusa.
E como tal, ela espargiu seus perfumes inebriantes,
Para semear a Terra Mãe.

Naquele instante, a doce lágrima do amor
Escorreu de seus olhos,
E, como cálida gota de orvalho,
no solo fértil penetrou
e na Terra Mater, a semente germinou.

Somos todos, filhos da Grande Mãe, a deusa do amor...
Em cada um de nós existe, no mais profundo interior,
A recordação da Deusa Mãe.
Mãe, mulher que gera e cria,
Mãe, natureza que a tudo abarca,
Mãe, símbolo de toda e poderosa força da concepção universal...
Apenas, tudo simplesmente é...
A representação arquetípica da admirável energia que tudo concebeu,
oculta em estado inconsciente,
até que ativada pelas experiências da vida,
acorda e se revela no ventre da mulher.

Mulher, tu és a mãe primeira,
Cuja bondade e sabedoria
Traduz a honrada missão do amor.
Cabe a tu generosa anfitriã
Abrir as portas da revelação
Para o tempo da espiritualidade madura
Em que o mundo possa renascer.

A tua força feminina, a fertilidade,
É natural tal qual, a Deusa que nasce e morre,
Renasce e torna a morrer.
E nos ciclos de renascimento, tu te tornas,
A missionária do Amor.

Marizilda Lopes

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

CONSCIÊNCIA

Foto da net

Esta mensagem foi escrita em 2012 e entendo o que vai descrito abaixo como parte deste momento planetário. Que sejamos então, conscientes de nosso papel no mundo.

Muito se comenta a respeito deste momento planetário, principalmente neste momento, em que grandes transformações se avizinham. São tantas falas diferentes, ora assustadoras na expectativa de cataclismos, ora nas grandes transformações de consciência que se espera do ser humano. Todos, de forma ou outra, sabemos da necessidade de mudança no padrão vibratório da consciência. Isto começa pela modificação dos pensamentos, dos comportamentos e principalmente pela ativação de motivação constante. Podemos assim dizer que a humanidade adentra um novo ciclo, forçosamente, porque o caos demonstrado ao nosso redor impulsiona para uma grande transformação. Não podemos mais suportar tanta discórdia, sofrimento, intempéries causadas pela violência desmedida do ser humano, típica dos momentos de transição como este.
Assistimos todos os dias pela TV situações caóticas em muitos países, tanto a nível coletivo como individual - o mercado financeiro balança, as guerras se perpetuam, o consumismo é desmedido e geram cada vez mais dependentes, os grandes poderes subestimam a ação e a consciência da população e oprimem os menos favorecidos. Será por isso que esperamos a finalização de tudo? Estamos cansados dos absurdos?
            Será que para recomeçar uma nova vida é preciso alardear um fim de mundo? Será que o ser humano já não estaria apto a transformar violência em paz e doçura, corrupção em retidão, mentiras em veracidade, miséria em prosperidade e ganância em generosidade? Eu quero crer que podemos mudar tudo pelo simples fato de que somos seres pensantes, temos uma consciência que abarca a imensidão do cosmos e somos capazes de alterar nosso padrão vibratório agora, através de sentimentos, lógica e atitudes próximas da sabedoria. Já somos 7 bilhões de pessoas, e podemos alterar a rota dos acontecimentos, somos fazedores de infinitas possibilidades, criamos e recriamos as dádivas da vida, basta apenas crer que podemos.
Há de se pensar qual o significado da palavra transição se não o simples fato de olhar para nós mesmos e descobrir quem somos, que consciência vibramos e o que estamos fazendo aqui neste exato momento. É preciso lembrar que podemos despertar certo coeficiente moral e espiritual porque sem eles nada se manifestará de forma equilibrada. A moral diz respeito aos valores que dirigem a ação humana implantada na coletividade, resultado da união das consciências individuais que tornam possível a manifestação de uma vida moldada no protótipo da sabedoria. Junto a isso é necessário viver a espiritualidade como um estado de consciência para infiltrar luz nos pensamentos que levam à valorização da vida. Se cada um manifestar esta nobreza será digno de herdar a Terra mãe, como um novo campo florido na qual o solo fértil estará pronto para receber novas sementes, de respeito e equilíbrio, para formatar uma sociedade mais justa, digna e fraterna.
            Como podemos abrandar o impacto dessas ocorrências em nossa vida para formatar uma nova terra?
Cultivando o silencio interior para repensar sobre a singeleza das palavras, dos gestos e de tudo o que fazemos e usamos impulsivamente. Sermos mais comedidos com nossas atitudes, nossos comportamentos e com aquilo que pensamos sejam nossas necessidades. Falamos, comemos, bebemos, compramos e usamos coisas demais, quase sempre nossos armários estão superlotados e não sabemos o que fazer com tanta sobra. Entupimos a mãe terra de lixo.
            Será que já não é hora de rever o que é imperativo e aprender a utilizar menos para viver? A falta não seria o experimento perfeito para aprender sobrevivência? É preciso ouvir mais nossa intuição, baixar o volume da voz e dos sons que quase sempre poluem nossos ouvidos, deixar de vez em quando tanta tecnologia – celular, computador, TV... Apagar as luzes e no escuro enxergar a imensidão de estrelas a noite e assim sentir o que é um “apagão”, vivenciar mais a natureza, evitar o desperdício, aprender a lei dos 3 “erres” – reciclar, recuperar e reutilizar, evitar tanto consumismo. O que é realmente essencial em nossa vida?
            Será que precisamos seguir os padrões atuais das coisas que dizem, são importantes, quando na verdade são habilidosos engenhos para manter a preleção de uma minoria? Afinal porque queremos tanto ser alienados? Desenvolver vícios, transtornos, síndromes e medos qualificados como doenças do psiquismo moderno? Porque não podemos criar nosso próprio jeito de ser, vestir, usar nossa criatividade e inteligência? Será que é tão difícil economizar, evitar dívidas que nos tornem desesperados a correr atrás de dinheiro? Será que é tão necessária a exibição do status, daquilo que pensamos possuir - carro, dinheiro, joias, felicidade e até a exposição da família? Para que serve chamar tanta atenção sobre a nossa vida? O que ganhamos ou aproveitamos com isso? Evocamos certamente, a inveja, a violência, a maledicência.
Que espécie de vida queremos viver a partir de agora?
É tempo de cautela, de evitar aliciar a atenção das mentes conturbadas e fanatizadas, de abandonar de uma vez por todas qualquer vício seja ele álcool, cigarros, drogas, medicamentos ou comportamentais; eles depõem contra o nosso equilíbrio e a nossa saúde psíquica e emocional. Evitemos repetir as notícias ruins que gerem medo, revolta, intranquilidade, angústia, incertezas...
Então é tempo de agradecer a divindade que permeia o universo e principalmente nosso coração, de reverenciar o planeta que nos acolhe, que nos dá alimentos diversos, que nos ensina o usufruto da abundância e da partilha. Para viver esse tal novo tempo, precisamos estar lúcidos, conscientes de nosso papel diante do universo e da vida.
Nestes moldes, este é o fim do mundo da inconsciência, da ignorância, do abuso e de todas as formas que não respeitarem os princípios básicos da vida. Este é o momento na qual os atos desbravadores dos mistérios inerentes à espécie humana, permeados de criatividade, impulsionarão o ser, rumo à infinitude do universo.

Marizilda Lopes
Extrema – MG


sexta-feira, 8 de março de 2013

SER MULHER

Imagem da net

Estas palavras foram escritas a algum tempo, mas continuam cada vez mais atual. Para todas nós mulheres....

O que é ser mulher?
É transformar séculos de desvalorização do feminino, pois aceitamos a submissão e por conta disto reprimimos a nossa natureza original, intuitiva e criativa. Não nos demos conta de que ao aceitar o modelo masculino para conquistar a vida e a felicidade, encapsulamos nossas próprias características, a espiritualidade, o afeto, o sentimento, o carinho, e principalmente a maior de todas - a compaixão que leva à cooperação e a solidariedade. Viver estes aspectos não pode ser considerado fraqueza, mas a força da sabedoria infinita de simplesmente ser mulher.
Ser mulher é escolher a tarefa mais difícil, mas também a mais gratificante, abrir as portas de um novo mundo fundamentado no amor e na esperança de reconquista da energia feminina, e para tal esvaziar a mente de pensamentos distorcidos sobre sucesso e felicidade, de preocupações com relacionamentos destrutivos, de estar na mesa de trabalho e esquecer as coisas importantes que realmente importam como: encantar-se com o sorriso de uma criança que espera, com o acolher do companheiro que vem para o jantar e com todos aqueles momentos marcados pela alegria, pelos sorrisos e até pelas lágrimas que desbravam nossas agonias quase sempre escamoteadas pela nossa falta de tempo.
Ser mulher é resgatar nossa coragem de quebrar algumas regras quando for necessário, principalmente aquelas que são determinadas pela cultura da ilusão, é recuperar a nossa autoestima e lutar por ela, para manter nossas vidas criativas florescendo nos campos de sabedoria, para que nossos relacionamentos tenham real significado, na qual possamos cultivar a amizade e o amor em sua verdadeira acepção. É resgatar os ciclos naturais da sexualidade, da entrega ao prazer construído sobre a égide do respeito ao corpo e da autovalorização. Assim nesta tônica, de ser e estar construiremos uma vida plena repleta de encantamentos que trará saúde e bem-estar.
E assim, Ser Mulher no novo milênio é encarar o maior desafio: reencontrar nosso real jeito de ser, nossas referências, que somente a alma feminina conhece, para então em qualquer papel assumido, em qualquer ambiente possamos ser agentes de transformação. Desta maneira, onde houver competitividade que possamos levar a noção do compartilhar, onde houver discórdia que levemos a paz, na exata noção de que a nossa capacidade intelectual é municiada de sensibilidade.
Então, mulher ouse aceitar que os reais opressores são as nossas próprias culpas e medos que habitam o interior de nossas mentes ocupadas demais com a ambivalência dos sentimentos. É tempo de libertação do sentir muito mais do que a razão, para que nossa presença se faça sempre e continuamente com dinamismo, com a nossa capacidade especial de amar e principalmente perdoar.
Que este dia da Mulher seja a âncora para a libertação de um propósito dirigido para tornar possível um mundo melhor.

Autora: Marizilda Lopes

sábado, 13 de outubro de 2012

A TRAVESSIA PELO PORTAL DA LUZ

Imagem da net

Considerações sobre o 11:11

Por orientação de Ashtar Sheran

O planeta Terra já vivenciou muitos acontecimentos desde que foi gerado e a espécie humana sempre recebeu as energias necessárias à sua evolução. Cada experiência vivida deixou marcas e impressões ao longo do caminho que servem de parâmetro para enriquecer o crescimento, individual e coletivo, de todos os seres que pertencem a esse sistema.
            Nessa trajetória, desde o princípio, o eixo físico do planeta alterou sua envergadura e acionou um “desalinhamento” em relação à galáxia. De certa forma, não se pode julgar que esta ocorrência se deu por imprudência, mas a inclinação do eixo terrestre foi e ainda é necessária para abrir a escala vibracional no movimento da espiral energética planetária que permite uma passagem tranquila para uma nova realidade, quando chegasse a hora. E, a hora é agora, neste tempo! Este agora é o momento do despertar da consciência da unidade em que toda a humanidade terá a possibilidade de escolher qual caminho seguir. Este caminho certamente será o reflexo da união dos propósitos auto escolhidos que proporcionam um foco determinado, que impulsione os seres humanos a saírem da dualidade.
            O ser humano, apesar do esquecimento de seu passado distante, recebeu a oportunidade da encarnação terrestre, agregou conhecimento suficiente para promover um salto de consciência sempre que necessário. Cada um de nós traz no corpo energético energias que vibram em consonância com o planeta. É neste corpo que podemos sentir o pulsar dos pontos de captação e organização energética – os chakras. Este pulsar está vinculado a códigos específicos, que em tempos determinados acompanham os movimentos das Eras, e se tornam aparentes em certos momentos, com o intuito de fazer a espécie humana, recordar o propósito divino que “os mestres conhecem e servem”. Para nós um dos códigos que mais importam agora é o chamado para 11:11, que propicia a mudança de frequência vibratória e evoca um alinhamento com o cosmos. Do individual ao coletivo é preciso que o mundo humano encontre harmonia com todas as forças universais e que penetrem na vibração das leis cósmicas.
            Talvez para alguns seja por demais importante afinar-se com os portais relacionados ao 11:11 que passa a ser extraordinário não somente pelo paralelismo que se evidencia na ressonância numérica, mas pela intenção direcionada de manter o vínculo aos outros e que certamente, forma a egrégora fortemente estabelecida para a mudança interna e externa de cada ser. São muitos os chamados e sinalizações das forças universais, que recebemos durante nossa trajetória. Todos estes são a forma inteligente que escolhemos em tempos muito distantes, de evocar um olhar mais direcionado e profundo para despertar uma nova abordagem, uma nova forma de vida, já que o planeta adentra em dimensões mais elevadas de consciência. 
            Muitos de nós, antes da encarnação terrestre, por livre escolha escolhemos aqui nascer para nos tornarmos ancoras do esplendor divino e sermos transformadores potenciais com a certeza de que poderíamos despertar muitos outros, para a grande tarefa da renovação. Nossas almas e código genético estão assim codificados para que a lembrança se faça em momento oportuno. Aos poucos os códigos da fonte de nossa origem ressonam através de várias formas de manifestação e surgem em todas as partes – pelas imagens, cores, símbolos, palavras, datas específicas, eventos cósmicos, alinhamentos planetários, ou seja, uma infinidade de sinais. Tudo isto com um único propósito: que nos lembremos dos compromissos assumidos pela luz e que são potencialmente doadores de amor e vida.  Somos nós os criadores das infinitas possibilidades para gerir um novo mundo na qual devem ser utilizadas as ferramentas que evidenciem alegria, confiança e amor. Nós somos os maiores transformadores da terra mãe e Gaia rejubila-se com esta onda de integração que transmuta um mito muito antigo, a dualidade, na qual a separação faz seu gozo, para realizar o maior milagre há tanto tempo esperado, a unidade de um só coração, uma só mente e única esperança – Eu e voce somos um.
            A grande espiral está neste momento se fechando para o “ponto zero”, um marco que traz a possibilidade de um recomeço. A marca escolhida focaliza o 11:11 como o protótipo de uma Nova Era. Precisamos lembrar que a travessia se faz de uma consciência para outra, mais vibrante e potente. A referência é perceber que as pessoas estão sendo confrontadas com seus próprios conflitos e que o mundo pede reforma em todos os sentidos. Não é acaso tanta discórdia, violência e medo – são as duas energias antagônicas, forças duais, que estão em seu ponto máximo e que lutam desesperadamente para se sustentar. Contudo, a força de todos aqueles que se colocam na sintonia do amor torna possível a mudança da Era do sofrimento para a Era da luz. Estamos sendo desafiados a buscar o alinhamento e cada um que penetra nesta vibração torna-se uma âncora de luz.
            O estudo da numerologia explica que 11 é um numero mestre, que está sempre sobre o foco da luz, mas que reduzido se torna um 2 que impulsiona os nossos conflitos a se expressarem ainda pela dualidade, a serem processados de alguma forma: daí o expurgo, a limpeza e a reestruturação antes de alcançar os níveis mais altos de consciência. É assim que o mundo se encontra - quanto mais adentrarmos no portal da luz mais as sombras surgirão para mostrar o que precisa ser alterado, ressignificado. A sensação de separação que habita nosso coração e que nos traz muita saudade passa a ser um ativador dos códigos fontes que nos conduzirão a outra realidade dimensional. Portanto, o Portal 11:11 é um codificador que nos ensina a administrar as nossas emoções e avivar a nossa intuição através do tempo e do espaço. Esta codificação acontece desde 11/01/1992 e se estende através do tempo para completar o ciclo de passagem pelos onze portais de ativação que nos conduz a recalibragem potencial para estados de consciência de ressonância estelar.
            Sempre que nós escolhemos e focalizamos algo que queremos muito o universo conspira a favor e torna realizável a promessa. Temos assim que nos dar conta de que o alinhamento pode acontecer primeiro por livre escolha de cada um, depois pela entrega direcionada ao propósito na vida. Somente cada pessoa saberá como isso acontece. A mudança de dimensão a tanto falada é a oportunidade de sintonizar o nosso ser interno, nossa alma e nosso espírito com as forças naturais do universo. Este é o momento, não somente pelo dia e hora, mas também a cada instante, a partir disso. Este é um chamado, e se refere à sintonização.
            Lembremos que a palavra é o verbo em nossas bocas, portanto é a seiva que nos guia, que nos dá coragem, humildade e poder de ressonância para reverberar na luz de nossa origem e ancorar o poder de nos reconhecermos como luz. Conscientes ou não, somos seres divinos e como tal devemos buscar a compreensão de que a sustentação da vida, além das bases humanas, se faz pela energia do espírito. E, desta forma faremos essa travessia pelo Portal da Luz que se abre neste tempo, para dar espaço, a todos que queiram habitar os campos floridos do Criador. Essa é a compreensão direcionada sobre esse momento especial que nos dá a todos a amplitude de consciência para criar o novo mundo.
                                                                                                                                            
ATIVAÇÃO DO DÉCIMO PRIMEIRO PORTAL
O décimo primeiro portal faz parte da ativação final do 11:11. É a incrível jornada da espécie humana que se transporta além da dualidade para a consciência plena da unidade. Esta ultima ativação fortalece a expansão do amor pleno na sabedoria consciente da verdade. É a oportunidade de unir a luz no coração do corpo coletivo da humanidade para formar um só coração que manterá a força irradiante do Uno, aqui e agora. Eis que surge o grande libertador de um novo ciclo de evolução terrestre alinhado a Alpha e Ômega, o gerador de Mundos que giram dentro de outros mundos e que por assim se manifestarem torna possível a ativação da chave que move o centro das galáxias giratórias.
O DNA humano, baseado em estruturas duais formatará a trajetória de realinhamento, e arremessará um alongamento eletroquímico de luz intensa para ativação dos chakras do planeta e do ser humano para ressonar em outras frequências dimensionais. São pilares da unidade que resplandecem em pontos determinados. Deste modo, cada plexo se alinhará às frequências cromáticas na vibração do espectro de Alpha e Ômega, o Sol Central deste sistema.
Todos os seres do universo são identificados pela vibração de sua energia expressos pela cor e som pessoais, em cada passagem pelos 11 portais do 11:11 é possível ativar uma cromática e som específico. O décimo primeiro portal é o unificador de todas as cores e sons que dão origem ao espectro solar de Alpha e Ômega para tornar o planeta Terra a ponte de ligação entre as oitavas superiores de luz e a nova consciência.             

Canal: Marizilda Lopes
Extrema – MG/05/10/2012  

sexta-feira, 11 de maio de 2012

MISSIONÁRIA DO AMOR



                                                                                                                                                 Imagem da Net

                                           A VOCE MULHER QUE É MÃE POR EXCELÊNCIA

... Num dado momento antes de tudo, a Deusa ergueu-se da escuridão e nasceu dela própria... E qual uma flor desabrochou e espargiu seus perfumes, como gotas de orvalho que inundaram o infinito. E assim com seu complemento divino, o grande ser, a vida aconteceu...”.

E assim se fez a vida, repleta de encantamento, ungida pela força do amor.

Nascemos em tempos distantes
Na florescência do amor da grande Deusa.
E como tal, ela espargiu seus perfumes inebriantes,
Para semear a Terra Mãe.

Naquele instante, a doce lágrima do amor
Escorreu de seus olhos,
E, como cálida gota de orvalho,
no solo fértil penetrou
e na Terra Mater, a semente germinou.

Somos todos, filhos da Grande Mãe, a deusa do amor...
Em cada um de nós existe, no mais profundo interior,
A recordação da Deusa Mãe.
Mãe, mulher que gera e cria,
Mãe, natureza que a tudo abarca,
Mãe, símbolo de toda e poderosa força da concepção universal...
Apenas, tudo simplesmente é...
A representação arquetípica da admirável energia que a tudo concebeu,
oculta em estado inconsciente,
até que ativada pelas experiências da vida,
acorda e se revela no ventre da mulher.

Mulher, tu és a mãe primeira,
Cuja bondade e sabedoria
Traduz a honrada missão do amor.
Cabe a tu generosa anfitriã
Abrir as portas da revelação
Para o tempo da espiritualidade madura
Em que o mundo possa renascer.

A tua força feminina, a fertilidade,
É natural tal qual, a Deusa que nasce e morre,
Renasce e torna a morrer.
E nos ciclos de renascimento, tu te tornas,
A missionária do Amor.
Marizilda Lopes